segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017 | h

Peritos Papiloscopistas buscam apoio na Assembleia Legislativa




     Na noite da última sexta-feira (17), o perito papiloscopista Alberto Durão, diretor do Sindpep (Sindicato dos peritos técnicos de polícia civil do estado da Bahia), promoveu um encontro com os colegas peritos, policiais civis e delegados em um restaurante de Itabuna. O objetivo foi apresentar ao Deputado Estadual Angelo Almeida (PSB), as propostas da categoria na tentativa de conquistar a independência na profissão.
    “Identificar culpados e excluir inocentes de investigações”, assim começa a fala de Durão sobre o trabalho da papiloscopia, ciência utilizada para identificação humana através das digitais. Porém, os papiloscopistas estão numa “briga” institucional para serem reconhecidos como tal.
Segundo o Sindpep, são cerca de 400 peritos técnicos a disposição da sociedade baiana que não são utilizados para contribuir com a elucidação de crimes. “Na Bahia são elucidados apenas 6% dos crimes, considerado baixo e temos como ajudar a aumentar esse índice”, revela Durão.
   Durão enfatizou a presença do deputado Angelo Almeida no evento, ressaltando que, essa penetração na Câmara dos Deputados é pertinente para que eles possam apreciar a lei orgânica e provocar melhorias para a categoria. “É preciso reforçar a classe e evitar essa propagação de baixa elucidação de crimes”, conclui.

  Para o diretor do Sindpoc (Sindicato da Polícia do Estado da Bahia), Eustacio Lopes de Oliveira Filho, os papiloscopistas podem contribuir e muito com a elucidação dos crimes. Segundo ele, o momento é histórico da PC baiana. “Temos uma polícia sucateada, é necessário mudar esse quadro. A falta de reconhecimento dessa categoria de peritos é apenas vaidade de cargos”, dispara.

      Os peritos técnicos papiloscopistas Macedo e Fábio Santos, ratificam a importância da presença de um representante da Câmara dos Deputados num evento como esse, valorizando que é possível alterar a lei orgânica e promover o reconhecimento dos cerca de 400 colegas.

      O Deputado Angelo Almeida destacou a necessidade da ciência para elucidar crimes. Ainda deixou claro que irá “travar batalhas” para esse reconhecimento da perícia papiloscópica na Bahia. “Estou honrado com esse convite, sei da importância da ciência para o combate ao crime, a tecnologia só colabora, é necessário mudar esse cenário”, informa.      Participou do evento, a delegada Lisdeile Nobre, uma policial defensora das provas materiais através da ciência. Ela é titular da DRFR (Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos), de Itabuna, pasta considerado de maior demanda por conta dos delitos constantes, como, por exemplo, assaltos, arrombamentos, furtos e roubo de celulares e latrocínio.      O novo delegado da DTE (Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes), Fábio Simões, também participou do encontro, considerando de fundamental importância a independência dos peritos papiloscopistas. Na pasta dele, os peritos podem identificar traficantes que tenham manuseado embalagens, tesuras e qualquer objeto numa apreensão de drogas.
Papiloscopia:
       É a ciência que trata da identificação humana através das papilas dérmicas existentes na palma das mãos e na sola dos pés, mais conhecida pelo estudo das Impressões Digitais.Papiloscopista:      É o nome dado ao profissional da Papiloscopia.      Especialista em identificação, desde a coleta até o arquivamento, envolvendo planejamento, coordenação, supervisão, controle e execução de trabalhos periciais papiloscópicos relativos ao levantamento, coleta, análise, codificação, decodificação e pesquisa de padrões e vestígios papilares. Pericia de Prosopografia (descrição de uma pessoa – envelhecimento, rejuvenescimento e reconstituição facial), bem como a realização de estudos e pesquisas técnico científicas, visando a identificação humana.

























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bahia Destaque 2015-2016 - Tema Desenvolvido Por YFOXXV