sexta-feira, 9 de setembro de 2016 | h

'Lá é meu lugar', diz idosa de 84 anos sobre casa demolida em crime na BA




Viúva e mãe de um filho, a aposentada Valdete Silva, de 84 anos, confessa que se vê um pouco perdida. No dia 30 de agosto, enquanto estava em tratamento de saúde, teve a casa demolida e diversos registros da sua história enterrados sob os escombros. O filho, que também morava com ela, estava trabalhando no momento da demolição.

Nesta sexta-feira (9), dez dias após o crime, ainda não há uma resolução sobre o caso. Ao G1, entretanto, a idosa revelou uma expectativa: "Eu queria voltar para lá. Lá é meu lugar. Foi lá que fiz tudo", diz sobre o imóvel onde viveu por mais de 40 anos, em Vitória da Conquista, no sudoeste do estado.

                         

De acordo com o delegado Nei Brito, as investigações sobre o crime seguem em andamento. Ele revelou que o advogado do principal suspeito compareceu à unidade e teria se comprometido em apresentar o cliente na segunda-feira (12).

Além disso, o advogado teria antecipado que a família será ressarcida financeiramente sobre os prejuízos sofridos.

Para não atrapalhar as investigações, o delegado disse que só divulgará o nome do suspeito após a apresentação. Sobre a motivação do crime, ele ressalta que ainda não tem informações e que esta será a grande questão do interrogatório previsto para segunda-feira.

Enquanto as investigações estão em andamento, dona Valdete Silva está na casa de um sobrinho. Vez por outra, ela revela a tristeza sentida ao lembrar dos mais de 40 anos de história que foram soterrados.

O filho da aposentada, que também morava na casa demolida, também recebe a ajuda dos familiares. "Tenho que agradecer primeiramente a Deus, porque se eu estivesse na casa poderia ter morrido. Não conseguiria correr. Depois, tenho que agradecer a ele [o sobrinho], que está nos ajudando", confessa.

"Perdi tudo. Foi cama, sofá, geladeira, fogão, armário, mobilete, bicicleta. Perdi tudo. Alguns documentos estavam comigo, outros estavam na casa e também perdi. Foi tudo para debaixo da terra", destaca. Dona Valdete está enfrentando uma pneumonia. O sobrinho, Roque Azevedo, dá o suporte necessário nesses dias difíceis. "Minha tia está aqui. Jamais iríamos abandonar", fala com carinho.

Caso
A família moradora da cidade de Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, teve a casa demolida por um trator e não tem suspeita de quem pode ter sido o autor do crime. A polícia investiga o caso.

A casa foi toda destruída e apenas algumas paredes ficaram de pé. Em meio aos escombros, ficaram móveis e objetos da família. O lavrador Deusdete Almeira morava na casa, mas estava ausente quando imóvel foi demolido. A mãe dele, Valdete Silva, também morava na residência, mas estava em tratamento de saúde no momento do crime.

O delegado Nei Brito, que investiga o crime, disse que a demolição aconteceu em 30 de agosto, quando o morador prestava depoimento na delegacia após ser intimado para tratar de uma queixa prestada por um vizinho. O lavrador demorou cerca de uma hora e meia e, quando retornou, a casa já estava demolida.

A casa estava localizada na BA-262, a 8 km de Vitória da Conquista. O terreno é de três hectares e foi uma herança deixada pelo pai de Deusdete, que já morreu. Ainda segundo o delegado Nei Brito, o responsável pela destruição do imóvel pode responder por dano ao patrimônio qualificado. A pena é seis meses a três anos de prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bahia Destaque 2015-2016 - Tema Desenvolvido Por YFOXXV