Notícias de última hora

Repórter denuncia cantor na polícia por assédio sexual


                           

Uma repórter do Portal iG, cujo nome foi ocultado para preservar sua privacidade, relatou uma situação constrangedora que aconteceu durante o encontro com MC Biel. A jovem de 21 anos denunciou o artista por assédio sexual após o cantor a chamar de "gostosinha" e oferecer beijo enquanto ela o entrevistava. "Quando ele disse, logo de cara, 'se eu te pego, te quebro no meio', já fiquei com o pé atrás. Estranhei o fato de não ter um filtro no que ele dizia, não ter uma certa barreira ou limite na relação entre repórter e entrevistado. A partir do momento que ele falou isso, minha primeira reação foi um choque. Ele trata assim mesmo quem está ali trabalhando com ele, e enquanto ele está trabalhando também?", lamentou.
A repórter continuou o relato: "Depois, vem o momento em que ele quer me oferecer um beijo, ou testar a sua sexualidade, e cruza novamente a barreira profissional. Não estava ali conversando, pedindo um beijo ou flertando. Estava ali porque é meu trabalho. Tanto que começo a entrevista dizendo: 'vamos falar sobre seu CD porque é o que importa. Por mais que ele tenha uma postura nas músicas e redes sociais com uma pegada sexualizada, de 'pegador', nunca imaginei que isso fosse acontecer durante entrevista com foco de divulgar o CD".

A jovem, que desde 2013 já fez diversas entrevistas com bandas e artistas, lembrou como se sentiu. "Estou acostumada a entrevistar famosos e a primeira coisa que pensei foi que aquilo não estava acontecendo. A entrevista terminou, peguei minhas coisas e fui embora. Entrei no táxi e tremia. Aí, comecei a chorar. Lembrei das pessoas da sala que estavam rindo, de tudo que ouvi uma vez, duas vezes, quatro vezes. Quando saí, percebi tudo que aconteceu, e tantas coisas que ouvi em dez minutos e é aí que você percebe o absurdo da situação", recordou.

Acolhida por amigos e parentes, a repórter decidiu, então, registrar uma queixa contra o artista. "Fui muito bem atendida na 1ª Delegacia da Mulher. O tempo todo me deram todas as direções, me falaram sobre o processo e me explicaram que estava errado ele me chamar de gostosinha, me oferecer beijo. Me explicaram que realmente a postura e até o jeito de olhar eram indícios de assédio sexual", diz, referindo ao atendimento da delegada e da chefe dos investigadores, Carla Cristina de Souza.

Nenhum comentário