Notícias de última hora

Nego Pom teria errado caminho e entrado em área dominada por facção criminosa


 
A agressão sofrida pelo dançarino e backing vocal da banda de pagode Guettho é Guettho, Marcos Vinícius Santos de Jesus, 32 anos, conhecido como Nego Pom, ainda é cercada de mistério. 
 
Uma das possíveis motivações para o crime seria que Nego Pom tinha ido cobrar um dívida, mas acabou sendo surpreendido por bandidos locais que o agrediram e levaram sua moto. Outra possível motivação para a crueldade é que o artista teria pedido ajuda para deixar o local, mas acabou entrando numa região dominada por uma facção criminosa.
 
Moradores locais passaram essas informações para polícia que investiga o crime que aconteceu na terça-feira (21), na Rua Nova Constituinte, no bairro de Periperi, em Salvador.  A vítima que foi baleada e agredida com várias pedradas chegou a ser socorrida para o Hospital do Subúrbio.
 
 
Na rede social, o cantor Danilo Ferreira postou uma mensagem informando que o dançarino havia morrido. "Infelizmente nosso backing vocal e dançarino, Nego Pom, não resistiu e morreu. Que Deus bote ele em um bom lugar e conforte toda a família dele", escreveu. A mensagem foi apagada posteriormente do perfil, mas mensagens de luto seguiram na conta da banda na rede.
Logo depois, por volta das 23h, Chiclete publicou outra mensagem: "Gente parece impossível, parece brincadeira, mas acabei de receber a notícia. Olha como Deus é. Nosso Nego Pom ainda está vivo, ele reagiu, mas está em estado grave. Por favor, peço mais uma vez a todos os meus fãs, vamos orar por ele. Obrigado Deus por mais uma chance".
 
 
O perfil da banda no Facebook chegou a publicar um flyer lamentando a suposta morte do artista. 

Nenhum comentário