Notícias de última hora

Mais 150 homossexuais vão morrer este ano, diz presidente do GGB

 
Nesta terça-feira (28), no Dia Internacional do Orgulho Gay, o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, afirmou que o movimento LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros] na Bahia, ainda não têm o que comemorar.
 
De acordo com o representante da entidade, eles têm poucas conquistas. “Não podemos ser levianos e não reconhecer, mas as mudanças foram pouquíssimas. Falta ainda a criminalização da homofobia no Brasil. Combater a homofobia não é fazer propaganda da homossexualidade de ninguém”, diz.
 
Cerqueira afirma ainda que precisa ser criada a expectativa de vida no Brasil para as pessoas desse gênero. “No Brasil, mais 150 homossexuais devem morrer por causa da homofobia nesse ano. Na Bahia não é diferente. Esse ano já contabilizamos 19 mortes, e a média é 30”, lamenta.
 
Ele explica que esse número é baseado em dados levantados pelo GGB que apontam no país, uma média 300 a 220 mortes por homofobia neste ano. “Falo isso na tentativa de sensibilizar o Congresso Nacional para que aprove a lei de combate a homofobia. Precisa existir um trabalho entre a delegacia, o Ministério Público e o Judiciário, pois não se pode achar que existe a cultura da impunidade”, finaliza.

Nenhum comentário