Notícias de última hora

Feira: terceirizada da Educação pode ser acionada na Justiça

 
A Sandes, empresa que presta serviços à Secretaria de Educação da Bahia, não enviou representantes para a reunião marcada para a tarde de quarta-feira (8), na sede da Gerência Regional do Trabalho (GRT) em Feira de Santana. É a segunda vez que a empresa não encaminha defensor ao encontro com representantes do Sindicato dos Trabalhadores de Limpeza Pública e Terceirizados.
 
Segundo informações do Acorda Cidade, como a Sandes não mandou representante, o Sindicato está disposto a ingressar com uma ação trabalhista para garantir os salários em atraso e a quitação dos débitos trabalhistas.
 
“As pessoas que estão aqui foram demitidas há mais de 90 dias e não há nenhuma decisão por parte da empresa. Não mandou representante e nem se quer deu qualquer informação se tem interesse de resolver essas questões trabalhistas. Eu pedi ao delegado do trabalho que tome uma posição, pois isso é um desrespeito ao sindicato, aos trabalhadores e ao próprio Ministério do Trabalho”, disse Rossalvo Cerqueira, presidente do Sindicato.
 
O sindicalista informou que foram demitidos aproximadamente 300 trabalhadores que atuavam em escolas da rede estadual de ensino em Feira de Santana e região. Ele disse ainda, que diante da dificuldade da empresa em negociar com os trabalhadores e com o sindicato, vai entrar com uma ação na justiça do trabalho contra a Sandes para que o direito dos trabalhadores seja assegurado.
 
“Como os representantes da Sandes não vieram pela segunda vez, o processo será encaminhado para a fiscalização e tanto o sindicato como os empregados foram orientados para reclamarem na justiça do trabalho, que tem o poder de cobrar. A empresa terá um prazo para quitar os débitos. Se isso não ocorrer ela poderá ter os bens penhorados”, informou o gerente regional do trabalho, José Batista de Santana. 

Nenhum comentário