Notícias de última hora

"Eliminado" por um minuto, Palmeiras bate Inter em jogo de 5 gols e avança

Palmeiras, gol, Vitor Hugo, Copa do Brasil (Foto: Marcos Ribolli)

Por um minuto, o Palmeiras se viu fora da semifinal da Copa do Brasil nesta quarta-feira. Foi esse o tempo necessário para que a equipe balançasse a rede pela última vez na vitória por 3 a 2 sobre o Internacional (que a colocará agora frente a frente com o Fluminense), na arena, depois de ter sofrido um empate que, em razão da vantagem construída com certa tranquilidade no primeiro tempo, parecia improvável. O primeiro duelo, em Porto Alegre, foi 1 a 1.
A vantagem do Verdão começou a ser aberta no começo da partida, com Vitor Hugo. Antes ainda do intervalo, Zé Roberto converteu pênalti (polêmico). No segundo tempo, Anderson e Lisandro López marcaram e colocaram o Colorado momentaneamente na próxima fase. No minuto seguinte, porém, Andrei Girotto fez mais um e definiu a classificação alviverde.
Antes de pensar na semifinal – o primeiro confronto será apenas daqui a três semanas, em 21 de outubro –, o Palmeiras volta suas atenções para a Chapecoense, adversária de domingo, pelo Campeonato Brasileiro. A competição por pontos corridos passa a ser a única do Inter na temporada. Por ela, a equipe joga no sábado, em casa, diante do Sport.
Na noite desta quarta-feira, uma semana depois do empate por 1 a 1 em Porto Alegre, o Palmeiras tinha a vantagem de avançar com um placar sem gol, enquanto o Inter precisava de uma vitória (ou de um resultado igual ao anterior para levar a decisão da vaga aos pênaltis). Mas quem abriu o placar foi o time da casa, através de sua principal arma: aos sete minutos, após cobrança de escanteio de Zé Roberto, Vitor Hugo ganhou de Nilton pelo alto e cabeceou a bola para a rede. Foi o sétimo gol do zagueiro com a camisa alviverde, o quinto de cabeça.
Pouco depois, o técnico Marcelo Oliveira foi obrigado a sacar Robinho (que se machucou e foi substituído por Rafael Marques aos 20 minutos). Dudu passou a atuar um pouco mais centralizado no meio de campo. A alteração não mudou o jogo, mas o Inter quase deu o troco pelo gol sofrido. Depois de escanteio, Nilton cabeceou na trave. A bola desviou em Fernando Prass e caiu no pé de Ernando, que só não empatou porque Amaral salvou.
Três minutos mais tarde, o susto deu lugar a alívio na parte alviverde da arquibancada. Em disputa atrapalhada pela bola, Lucas e Alex se esbarraram, e o árbitro enxergou falta do meia colorado no lateral-direito palmeirense dentro da área. Zé Roberto deslocou o goleiro Alisson na cobrança, converteu o pênalti e aumentou a diferença no placar.
Uma ou outra aparição do Inter na área ainda causava apreensão, mas a vantagem parecia sob controle. Até que, no retorno do intervalo, o Inter mostrou logo no primeiro minuto que não se entregaria, em cabeceio de Rodrigo Dourado à queima-roupa defendido por Fernando Prass. Mais dez minutos, e Anderson pôs o time gaúcho definitivamente no jogo. Ele ganhou bola na intermediária – em dividida na qual Lucas reclamou de "pé alto" –, arrancou sozinho diante da marcação e, com um chute cruzado rasteiro, enfim, vazou o goleiro palmeirense.
Daí em diante, a equipe de Argel Fucks pressionou em busca do empate. E conseguiu aos 28 minutos, quando Alex cobrou falta na primeira trave, e Lisandro apareceu para completar depois de desvio (irregular, na visão dos palmeirenses) no meio do caminho. Gol que daria a vaga ao time visitante, não fosse um cabeceio certeiro de Andrei Girotto, no minuto seguinte.

Nenhum comentário