Notícias de última hora

Após 29 dias foragida, prefeita suspeita de desvios se entrega à Polícia Federal

(Foto: Reprodução/Instagram)

Suspeita de desviar verba para educação e fraudar licitações em até R$ 15 milhões da prefeitura de Bom Jardim, no Maranhão, Lidiane Leite da Silva (PP), de 25 anos, se entregou à Superintendência da Polícia Federal, em São Luís (MA), nesta segunda-feira (28). A gestora estava há 39 dias foragida da justiça e é investigada por participação na Operação Éden. Ela foi indiciada por peculato, fraude e associação criminosa. A ex-chefe do Executivo de Bom Jardim estava sumida desde o dia 20 de agosto.
A prefeita ostentação, como ficou conhecida, se apresentou na sede da PF acompanhada por três advogados, por volta das 13h e entrou pelos fundos para não chamar atenção. Ela será submetida a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) depois de prestar depoimento e será encaminhada para o quartel do Corpo de Bombeiros em São Luís.
De acordo com o relatório final de indiciamento entregue pela PF no dia 17 a ex-prefeita, seu ex-namorado e ex-secretário de Articulação Política, Beto Rocha, e o ex-secretário de Agricultura Antonio Gomes da Silva sacaram R$ 300 mil sobre contratos de merenda escolar. A estimativa da PF é de que a fraude à licitação tenha chegado a R$ 1 milhão. A prefeita foi cassada pela Câmara de Bom Jardim no dia 4 de setembro. Ela é suspeita de desvios de verbas  e fraude à licitação que podem alcançar R$ 15 milhões.
Lidiane exibia nas redes sociais imagens de uma vida de alto padrão para uma cidade de 40 mil habitantes à beira da miséria, com um dos menores IDHs do Brasil. Carros de luxo, festas e preocupação com a beleza, o que inclui até cirurgia plástica eram exibidos pela prefeita.

Nenhum comentário