Notícias de última hora

PF desarticula quadrilha que produzia e vendia cocaína em farmácias na Bahia e em 6 estados

A Polícia Federal desarticulou na manhã desta quinta-feira (27) um grande esquema especializado no tráfico de drogas sintéticas que produzia e vendia de anfetaminas a cocaína em farmácias e laboratórios no estado de Goiás. A quadrilha também atuava na Bahia e outros quatro estados, além do distrito federal.

Segundo a PF, a quadrilha usava ainda vendedores em carros de luxo para comercializar a mercadoria ilegal. Em apenas oito meses, um dos laboratórios gerenciados pela organização movimentou cerca de R$ 240 milhões.
Policiais federais deflagram operação contra quadrilha suspeita de tráfico de drogas em Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Chamada de Operação Quinto Elemento, a ação policial busca cumprir 30 mandados de prisão temporária, 08 mandados de prisão preventiva, 40 mandados de condução coercitiva, 55 mandados de busca e apreensão e 12 sequestro de bens imóveis, incluindo um prédio residencial de 20 apartamentos. Cerca de 400 policiais federais estão participando da operação nos estados de Goiás, São Paulo, Paraná, Tocantins, Bahia, Minas Gerais e no Distrito Federal.

A PF não divulgou o município baiano, nem o estabelecimento envolvido no esquema. Ainda de acordo com a polícia a quadrilha utilizava empresas regularizadas para adquirir os produtos químicos usados para sintetizar os as drogas, entre elas anfetaminas e cocaína.


Oito laboratórios foram localizados e alguns deles possuíam grande capacidade de produção de drogas. Em um dos laboratórios desmontados foram apreendidos cerca de 630 mil de comprimidos conhecidos como Ecstasy do Paraguai prontos para o consumo. A droga, que também é usada como rebite, leva o usuário a um quadro de insônia e depressão. 

Segundo a PF, a droga encontrada é superior à quantidade apreendida pela Polícia Federal durante todo o ano de 2015. Em outro laboratório, a polícia encontrou aproximadamente 800 mil comprimidos ainda em produção. 

Os presos responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico, falsidade ideológica e tráfico de produtos químicos para a produção de drogas.

Nenhum comentário